Transparência Pública

Encontro

CGU debate fortalecimento do setor de água e saneamento

publicado: 11/02/2020 08h32, última modificação: 12/02/2020 18h13
Seminário, realizado na ENAP, reúne especialistas da área do Brasil, Colômbia, Honduras, Paraguai e Peru, além de servidores públicos nacionais e estrangeiros
CGU debate fortalecimento da integridade do setor de água e saneamento

Diretor de Transparência e Controle Social da CGU, Otávio Neves, participou da sessão de abertura

A Controladoria-Geral da União (CGU) promove, nos dias 10 e 11 de novembro, na Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), em Brasília (DF), o evento “Fortalecimento da Integridade do Setor de Água e Saneamento através da Parceria para Governo Aberto (OGP)”. O encontro é realizado em parceria com a Agência Nacional das Águas (ANA), Water Integrity Network (WIN), da Alemanha, e Fundação AVINA, da Argentina.

O objetivo do evento é discutir os compromissos referentes a recursos hídricos presentes em Planos de Ações Nacionais no âmbito da OGP, em países da América Latina e Caribe. O encontro conta com a participarão de cerca de 30 pessoas, sendo especialistas da área do Brasil, Colômbia, Honduras, Paraguai e Peru, representantes da entidade reguladora de países da Região, além de outros servidores públicos nacionais e estrangeiros. 

Também espera-se com o evento: promover reformas de integridade no setor de água e saneamento; destacar a OGP como uma plataforma de relevância; compartilhar metodologias e ferramentas; apresentar casos e lições aprendidas na formulação e implementação de compromissos; e identificar interesses e necessidades para o desenvolvimento de capacidades. 

O diretor de Transparência da CGU, Otávio Neves, participou da sessão de abertura. A mesa também foi composta por Sérgio Ayrimoraes, da ANA, Pilar Avello, do Instituto Internacional da Água de Estocolmo (SIWI), e Marcelo Mendiburu, da Comunidade de Prática (CoP) relativa à Água e Governo Aberto.

“Trata-se de oportunidade para discutir práticas e desafios para melhorar a gestão da água por meio de uma cultura de governança, que busca dar mais transparência, integridade, participação da sociedade e mais responsividade do governo, que procura gerar inovações, para que hajam políticas públicas melhores priorizadas, com mais assertividade no uso dos recursos para a comunidade”, destacou Neves.