Transparência Pública

Reconhecimento

Diretor de Transparência da CGU recebe Prêmio Espírito Público

publicado: 29/10/2019 14h55, última modificação: 29/10/2019 14h55
Otávio de Castro Neves foi reconhecido pela atuação em prol da transparência pública
Diretor de Transparência da CGU recebe Prêmio Espírito Público

Servidor da CGU desde 2008, tem experiência prévia de uma década nos setores de mídia e telecom

O diretor de Transparência e Controle Social da Controladoria-Geral da União (CGU), Otávio de Castro Neves, foi agraciado nesta segunda-feira (28) com o Prêmio Espírito Público. Esta é a maior premiação de reconhecimento de trajetórias no setor público brasileiro, que busca revelar a importância dos profissionais que se dedicam ao setor.

Castro Neves é especialista em Estratégia pela Fundação Getúlio Vargas e bacharel em Comunicação Social pelo UniCeub. Servidor da CGU desde 2008, tem experiência prévia de uma década nos setores de mídia e telecom. Atualmente, atua como diretor de Transparência e Controle Social, na Secretaria de Transparência e Prevenção da Corrupção, onde liderou o projeto de criação do Sistema Eletrônico de Informação ao Cidadão (e-SIC), um serviço 100% digital que facilita os pedidos de informação ao Governo Federal.

O diretor também está à frente dos Planos de Governo Aberto e do Portal da Transparência, para o qual propôs nova versão com mais dados e ferramentas, lançada em 2018.

Receber o prêmio em cerimônia realizada em São Paulo foi, segundo Castro Neves, “muito especial”. “Primeiro, porque a indicação veio de gente da minha equipe e, segundo, porque é um prêmio dado pela sociedade, para servidores de todo o Brasil”, explicou. “É um reconhecimento não apenas para mim, mas para o trabalho das equipes da CGU que se empenham para melhoria da transparência pública”, afirmou o diretor.

Espírito Público 

O Prêmio Espírito Público foi criado como resposta à pergunta “Como reconhecer e compartilhar as trajetórias de profissionais públicos no país?”. Em um cenário repleto de estigmas negativos, sua existência revela a importância da mudança de pensamento sobre os profissionais e suas histórias no setor público. O Prêmio é resultado de um esforço coletivo de diversas organizações e tem foco na continuidade dos trabalhos e caminhos que levam os trabalhadores públicos às suas contribuições pelo Brasil.

A iniciativa é realizada pela aliança entre as fundações Lemann e Brava, e os institutos Humanize e República – junto à Agenda Brasil do Futuro, com o suporte de vários parceiros.

Em 2019, o número de trajetórias a serem reconhecidas foi ampliado. Foram acrescentadas as categorias Saúde e Governo Digital às outras quatro existentes na edição 2018: Educação, Meio Ambiente, Segurança Pública e Gente, Gestão & Finanças Públicas. Assim, passou-se de 12 finalistas e 4 menções destaque, para 18 e 6, respectivamente.